1.6.10

Partida


Kazuo Ohno (1907-2010)

3 comentários:

Afonso Rodrigues disse...

Ricardo, meu caro. Ví o Kazuo Ohno em 1986 em São Paulo e me lembro do êxtase da platéia diante daquela figura fantasmagórica que executava seus movimentos numa dimensão que extrapolava os limites do palco. Foi uma das maravilhas que vi na vida e lamento ter pedido aí a oportunidade de ser poeta, como aconteceu com Murilo Mendes ao ver Nijinski.

Le Ca disse...

"O único movimento que tem significado é aquele que deriva da alma". Kazuo Ohno

Ricardo Aleixo disse...

Felizardo que você é, Afonso. :)