2.5.08

Conversa inteligente, necessária, aberta


Aos que acham que a poesia brasileira está definitivamente entregue à auto-complacência demonstrada pela IMENSA MAIORIA dos poetas em atividade no país, hoje, recomendo, como contra-veneno, a leitura de uma boa conversa entre Carlos Augusto Lima e Delmo Montenegro, publicada na coluna quinzenal que o primeiro mantém no Diário do Nordeste, de Fortaleza. Uma das respostas de Delmo
: "Reduzir minha literatura a sua filiação ou não aos movimentos de vanguarda é querer encapsulá-la num jogo colonialista superficial. As vanguardas, enquanto propostas ideológico-políticas, já se esgotaram há muito tempo. Só podemos retomá-las pelo viés crítico, pelo viés irônico, arrancando-lhe as máscaras. No limite extremo, há um sentido épico e religioso no Nazismo que o aproxima do conceito de Obra de Arte Total do Teatro de Bayreuth. E isto é terrível. Terrível, porque profundamente verdadeiro. Porém só quem vivenciou esta angústia pode fazer a crítica da cultura dos postulados dominantes da arte do século XX. As metáforas militares, as metáforas de poder, sempre permearam os instrumentos eurocêntricos de estudo e dissecação da língua - verbo, sintaxe, regência, etc, todas são expressões de origem militar - o próprio termo página, do latim pagus, carrega essa idéia de territorialidade, de espaço de posse, de espaço de luta. O local da página sempre visto como um local de combate. A própria idéia de uma literatura de infantaria, de avant-garde, nada mais é do que a radicalização explícita desses movimentos de autoridade. Minha literatura aposta na diversidade, no outro, na polissemia dos sentidos, no extravasamento das normas. Não há pontos de fuga ou uma teleologia de fundo místico onde escoro as minhas verdades. Todas as minhas verdades são transitórias. Não aposto numa ideologia da História. Diante de Heráclito, cai o edifício do poema cósmico de Parmênides."

2 comentários:

Leitor disse...

"Aos que acham que a poesia brasileira está definitivamente entregue à auto-complacência demonstrada pela IMENSA MAIORIA dos poetas em atividade no país, hoje..."

voce nao consegue elogiar alguma coisa sem falar mal de outra?? que eh isso, sistema de compensaçao?

Ricardo Aleixo disse...

E vc, seja lá quem for, poderia fazer o favor de se identificar? Ou será que omitiu seu nome apenas porque se identificou com a maioria que chamei de auto-complacente? Querendo debater a sério, me mande um email (ricardoaleixo@terra.com.br), que publicarei com prazer sua colaboração.