13.9.09

Nem uma única linha só minha

Eis, em artes do meu jovem e talentoso amigo Tazio Zambi, o anúncio da minha próxima presentação (você leu certo: omiti propositalmente  a letra “a”). É que vou, mesmo, tentar presentar, presentificar, tornar presentes – no Cine SESI Pajuçara – umas tantas possibilidades de (auto)poiesis com as quais tenho lidado, ao longo desse largo período em que me vi, literalmente, sem pai nem mãe. 

3 comentários:

Carolina disse...

Salve Ricardo Aleixo! Assisti ontem Uma única linha só minha, em Maceió, e pensei: o dom e o trabalho fazem da sua voz um poema encantador, associado a outros meios interessantes, que precisa ainda ser muito ouvida pelos ouvidos do mundo!!! E isso, não para adormecer, como acalanto, posto que é mesmo doce, mas para despertar, porque é incrivelmente possível e de verdade: a voz!
grande abraço,
Carolina Leopardi

Meire Barros disse...

Tbm assiti Uma única linha só minha e fiquei encantanda, curiosa, assustada rsrs não conseguiria resumir em uma palavra tudo q senti, mas foi muito bom e espero ter a honra de vê-lo outras vezes, amo poesia, música, efeitos enfim e vc os usou tão bem q fiquei realmente impressionada, nao conseguia me decidir pra onde olhar, foi muito bom mesmooooo.
Grande abraço e fica com Deus,
Meire Barros.

Ricardo Aleixo disse...

Carolina, Meire: muito obrigado por tanta gentileza! Com um público formado por gente verdadeiramente viva, como acontece sempre que vou a MCZ, fica fácil mostrar serviço. :)
Há braços!