29.11.09

Uma grande perda

Foi enterrado hoje, às 16h, no cemitério Parque da Colina, em Belo Horizonte, o jornalista Alécio Cunha, morto ontem à noite, aos 40 anos, depois de uma longa luta contra o AVC que o vitimou no último dia 6 de outubro. Repórter da área cultural e colunista do jornal Hoje em Dia, Alécio, que era também poeta e crítico de artes plásticas, tornou-se nos últimos anos uma voz solitária na imprensa mineira, pela disposição com que tentava abrir espaços para a difusão da poesia contemporânea. Pessoalmente, só tenho palavras de respeito e gratidão por ele, em quem encontrei sempre um interlocutor atento e generoso. Alécio tinha uma rara cultura literária, alma de poeta, coragem para sustentar suas posições e abertura dialógica (artigos cada vez mais raros aqui na província). Fará muita falta.

4 comentários:

Renato Negrão disse...

faço minha suas palavras ricardo, grande perda mesmo.

Márcio-André disse...

kct. Isso é muito triste. Eu conheci o cara em Ouro Preto. Lembro de sua empolgação com a literatura. Perda irrecuperável... meus pêsamos, Ricardo. abrçs

.geo disse...

uma grande lacuna na imprensa cultural, sobretudo na cobertura literária em Minas. um dos poucos homens das letras em atividade na nossa imprensa. Grande perda mesmo.
abs, George

Anizio Vianna disse...

Grande homem.Grande perda.